Follow by Email

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Capitulo 22 Curso Expansão da consciencia

Estamos entrando no proibido tema do sexo. Muito escreveu-se a respeito, porém os mistérios do sexo ficaram encerrados exclusivamente nas profundidades da simbologia esotérica, à qual unicamente tem acesso os discípulos das Escolas de Mistérios que, de lábios a ouvidos recebem esta terrível chave. Muitos consideram o sexo como algo vil, vergonhoso, abjecto, tema inabordável em reuniões sérias, etc. , e não poderia ser de outra maneira, pois sempre foi considerado do ponto de vista do “Eu Psicológico”.
 
Chegou a hora de falarmos do sexo sem malícia, sem pensar em baixezas ou sujeiras. Vamos considerá-lo dum ponto de vista muito puro, elevado, transcendental. As gônadas femininas são os ovários e as masculinas os testículos. O sistema reprodutor feminino é formado pelos ovários, útero, trompas de falópio e vagina e o masculino pelos testículos, próstata, vesículas seminais e pênis, constituindo maravilhosos laboratórios.
 
As citadas glândulas possuem duplas funções, pois têm secreção interna e externa. Além dos ovários produzirem o óvulo, também incretam  uma substância endócrina formidável, que vitaliza a mulher e a torna feminina. Os testículos produzem o Ens Seminis como secreção externa, no qual flutuam os zoospermas, que vem a ser os germens vitais da existência; a increção hormonal íntima do córtex dos testículos é o poder maravilhoso que dá energia ao varão e o torna essencialmente masculino. Os hormônios femininos e masculinos têm também papel na distribuição de gorduras no corpo e na fixação do cálcio nos ossos.
 
Os hormônios são substâncias que através da circulação sangüínea, saem das glândulas onde são produzidas e vão aos órgãos ou glândulas a que se destinam com função específica. Agindo como que inteligentemente, acelerando, ativando ou inibindo suas funções. Sabe-se que os ovários emitem óvulos a cada vinte e oito dias, de acordo com o ciclo lunar, obedecendo uma ordem hormonal vinda da hipófise. Tal gérmem feminino é recolhido por uma das trompas e encaminhado ao útero. No trajeto do óvulo pela trompa é onde mais comumente se encontra com os espermatozóides (germens masculinos). No ovário, a cicatrização da saída do óvulo produz um hormônio chamado luteinizante, que estimula a produção de um outro hormônio, que vai “preparar” o útero para receber o ovo fecundado ou cair sob forma  de menstruação dias após. Proporcionalmente, não existe na natureza força maior do que a força que faz o espermatozóide para encontrar o óvulo e fecundá-lo. A explosão demográfica, nestes tempos de crise, tem sido um forte motivo para se pensar em controle da natalidade, empregando-se três sistemas para tal controle: Físico, Químico e Biológico.
 
Sistema  físico      : pesarios, espirais (diu), codons, membranas, anéis, etc.
Sistema  químico  : pomadas espermaticidas, a base de arsênico e mercúrio.
Sistema biológico: anovulatórios orais (pílulas), ligaduras de trompas ou o do cordão espermático.
 
É claro que todos esses procedimentos anticonceptivos, cem por cento mecanicistas, além de causar distúrbios orgânicos muitas vezes irreparáveis, relaxam de forma radical a ética humana e conduzem à degeneração. É inquestionável que as pomadas aplicadas à vagina causam irritações e desequilíbrios nas células do colo da matriz. Os anovulatórios inibem a saída do óvulo do ovário e interferem significativamente no eixo hormonal hipófise-ovário.
 
Uma célula é formada de várias partes; entre elas estão os LISOSSOMAS, que são vesículas cheias de enzimas responsáveis pela nutrição celular. A pílula anticoncepcional e os demais elementos citados destroem os lisossomas dos zoospermas e óvulos, originando então criaturas enfermas, loucos, paralíticos, surdo-mudos, cegos, idiotas, homossexuais, mulheres lesbianas, etc.,  no caso de produzir gravidez. As pomadas aplicadas à matriz destroem  lisossomas celulares, os quais atuando livremente originam úlceras e câncer nas paredes da vagina e no colo do útero. Os lisossomas em plena atividade harmoniosa dentro da célula viva constituem o fundamento da existência; o Lisossoma é em si mesmo um centro eletro-magnético enzimático. O núcleo germinativo celular libera o mesom K que vai para a periferia celular dando origem aos lisossomas intra-celulares, pela Lei do Eterno Heptaparaparshinokh (a lei dos sete). As enzimas contidas nos lisossomos são substâncias com função de “quebrar” as moléculas de alimento ou agir como aceleradoras das reações químicas que vão metabolizá-las (digeri-las): amilase, lipases, proteases, hidrolases, oxidases, catalases.
 
Em harmonia com o infinito, em contato com a natureza, estabilizam-se a tensão superficial, a pressão osmótica e oncótica de todas as células (glóbulos vermelhos, zoospermas, etc.). Os detergentes, inseticidas, pomadas espermaticidas, drogas, hormônios de animais, monóxido de carbono, etc., destroem os lisossomas dos zoospermas e óvulos. O ar vital fora das cidades, o Prana dos bosques, o sol, a água pura, etc., fortificam e enriquecem o organismo com prodigiosos lisossomas. Os lisossomas são os agentes ativos do fundo vital (Limgam-Sarira). É notório que os procedimentos anticoncepcionais tão em voga, destroem os lisossomas e originam espantosas enfermidades. Todos estes métodos vulgarmente praticados tem como denominador comum a destruição dos seres. A Educação Sexual difundida com esse ato fatal, instrui a humanidade para que desperdice suas energias poderosas, que quando bem encaminhadas constituem o alimento dos homens superiores. É necessário deter esta auto-destruição da humanidade que desconhece a poderosa força encerrada no ENS SEMINIS.
 
Para chegar ao conhecimento dos mistérios que encerra o Sexo, é necessário que afastemos os conceitos que aprendemos em nosso viver diário. Queremos referir-nos enfaticamente ao Sahaja-Maithuna, do Indostão; a famosa Caretza, italiana. Há abundante documentação sobre tudo isto no famoso Kama Kalpa indú, nas obras de todos os Alquimistas medievais: Sendivogius, Paracelso, Nicolas Flamel, Raimundo Lulio, etc. É lamentável que o Kama Sutra indostão tenha sido adulterado e deformado monstruosamente.
 
Os biólogos evidenciaram através de muitos anos de observação e experiência direta, que as glândulas sexuais não são fechadas, pois excretam e incretam hormônios. A palavra grega Hormona significa ânsia de ser, força de ser. É assombroso o poder vital dos hormônios sexuais. Juntá-los, incrementá-los, fazê-los retornar para dentro e para cima, sempre com o sadio propósito de enriquecer a vida, é fundamental. A vantagem formidável que tem, é a de além de não destruir lisossomas, enriquece o organismo humano, vitalizando-o.
 
Comprovou-se plenamente que as increções sexuais hormonais intensificam a produção hormonal de todas as glândulas de secreção interna ou endócrinas. A corrente sangüínea, conduzindo hormônios sexuais, os põem em contato com todos esses Micro-laboratórios glandulares, estimulando-os.
 
Vamos estudar o par de cordões nervosos conhecidos na Índia com os nomes de IDA e PINGALA. No homem, Ida parte do testículo direito e Pingala do esquerdo; na mulher esta ordem inverte-se, partindo dos ovários.
 
Estes dois finíssimos canais nervosos enrolam-se no osso do Cóccix e sobem como serpentes enroscadas na espinha dorsal até o cérebro. A ascensão contínua da energia sexual transmutada em vapores seminais ao longo desses canais nervosos, transforma-nos radicalmente, convertendo-nos em mutantes. Desde que Louis Pauwels e Jackes Bergier escreveram sobre os mutantes, produziu-se no mundo intelectual verdadeira inquietude ideológica. É inquestionável que isso dos mutantes é algo insólito, inusitado, por isso é necessário esclarecer meticulosamente esta matéria. Existem duas classes de mutantes: favoráveis e desfavoráveis.
 
Mutantes é mudança, troca, alteração, variação, cuja base está no sexo.
 
O átomo hereditário localiza-se nos cromossomos. A herança biológica pode ser transformada substancialmente para originar um mutante. No caso da transmutação sexual através da Sahaja Maithuna é claro que existem esforços e autêntica rebeldia psicológica, insurreição declarada contra a herança biológica. O resultado patente e manifesto desse tipo especial de rebeldia psico-sexual é o Mutante. Necessitamos estudar profundamente as leis cardiais e definitivas da Mutação científica. Qualquer Mutante legítimo de tipo favorável é o resultado específico de distintas cristalizações do Hidrogênio Si-12.
 
O citado Hidrogênio representa o produto final da transformação dos alimentos dentro do maravilhoso laboratório do organismo humano. Esta é a matéria primordial com que trabalha o sexo. A matéria prima dos alquimistas.
 
Esta energia sexual economizada e transmutada é a matéria prima da Grande Obra, que o sexo fabrica sabiamente. O Ens Seminis e seu peculiar Hidrogênio Si-12, é semente e fruto ao mesmo tempo. Transmutar este hidrogênio portentoso para dar-lhe inteligente cristalização numa segunda oitava superior, significa de fato criar uma nova vida dentro do organismo existente, dar forma evidente ao corpo astral ou sideral, autêntico, solar, dos alquimistas e kabalistas.
 
O Mestre Gargha Cuichines dizia: “entendam que o corpo Astral nasce do mesmo material, da mesma substância, da mesma matéria que nasce o corpo físico; o único que diferencia é o procedimento. Todo corpo físico, todas as células ficam, por assim dizer, impregnadas pelas emanações da matéria que é o Si-12. E quando estas saturam-se suficientemente, a matéria Si-12 começa a cristalizar-se. A cristalização desta matéria constitui a formação do corpo astral solar. A transformação da matéria Si-12 a uma  condição de emanações é o que a Alquimia chama de TRANSMUTAÇÃO ou transformação.” “Justamente esta transformação do corpo físico em astral é o que a Alquimia chamava de transformação dos metais grosseiros em metais finos, ou seja, a obtenção de ouro dos metais ordinários.”
 
Atualmente o homúnculo chamado homem possui apenas o corpo astral lunar, o demônio APOPI dos mistérios egípcios, o corpo dos desejos. É óbvio que os clarividentes pseudo ocultistas confundem tal corpo - conjunto de eus - com o autêntico corpo astral solar.
 
Discordamos do famoso Dr. J. Ford Thompson, que afirma que as crianças prodígios, descobertas pelo referido psiquiatra, sejam mutantes. Recordemos  que o ego é memória de vidas passadas e que retorna a novas matrizes humanas; indiscutivelmente reincorpora-se depois de cada morte. Nestas alturas os egos já viveram muito, estão velhos, retornaram a este mundo muitas vezes, repetindo demasiadamente o que sabem, o que aprenderam, resultando as crianças prodígios. Diz o refrão: “o diabo não sabe tanto por ser diabo, senão por velhice.”
 
O homúnculo não possui ainda a autêntica mente solar; embora seja um prodígio, não é um mutante. O animal intelectual não nasce com o corpo solar mental; deve fabricá-lo se quiser transformar-se num mutante favorável. É ostensível que o Alquimista pode e deve transmutar o hidrogênio sexual Si-12, transformando-o mediante a Sahaja-Maithuna a uma terceira oitava musical, cujo resultado seria a cristalização do citado elemento na esplêndida e surpreendente forma de veículo supra-sensível mental solar.
 
Este tipo específico de mente difere tanto do intelecto comum e corrente como a água do azeite.
 
O corpo causal ou corpo da Vontade Consciente também não existe no ser humano vulgar; deve formar-se com a transmutação alquímica para ocupar o lugar atualmente tomado pelo DEMÔNIO NEBT dos mistérios egípcios, personificação vivente da má vontade. O legítimo mutante, o adepto verdadeiro, difere tanto do humanóide intelectual como a água do vinho.
 
A radioatividade pode originar a modificação dos gens, porém jamais pode criar um mutante favorável ou desfavorável. A proteina dos gens ligeiramente afetada, deixaria de produzir, como disse L. Pauwels, certos ácidos que causam angústia. Então veríamos surgir pessoas que nada temem, cínicas perversas, que gostam de matar, porém não são mutantes. Parece-nos absurdo que os efeitos da radioatividade correspondem à vontade do alto, como supõem Pauwels. Não nos parece correto de que a mutação genética produzida pela radioatividade atômica destes tempos signifique uma ascensão espiritual da humanidade. É óbvio que a intensa radioatividade pode alterar a ordem dos gens e originar embriologias defeituosas, porém tais espécimens monstruosos não são mutantes. Não negamos que exista mutação, cambio, variação num embrião, porém o autêntico mutante que estamos estudando é radicalmente diferente. Nos parece absurda a idéia de que apenas alterando-se fundamentalmente a proteína do gene nasça o mutante. Enfatizamos a idéia de que não é possível o nascimento do mutante mediante explosões atômicas ou radioatividade e nem é o resultado de uma incessante evolução da humanidade realizada por mutações. O mutante é o resultado da Revolução da Consciência; o produto vivente da rebeldia psicológica. É lamentável que se faça uma mística dos experimentos atômicos.
 
Certo Iniciado disse: “Os Fisiólogos e outros analisaram o corpo do homem e reduziram-no a uma massa de carne e ossos. Podem discutir sobre este ou aquele osso, sobre os diferentes órgãos, porém tudo isto são coisas densas. Não descobriram nem procuraram as coisas mais secretas, as coisas intangíveis, que os hindus, chineses e tibetanos conhecem há séculos, mesmo antes do Cristianismo.”
 
“A espinha dorsal é pois de estrutura importantíssima. Contém a medula espinhal, sem a qual fica-se paralisado, inútil como ser humano. A medula espinhal é mais importante que tudo isto. Exatamente o centro do nervo espinhal, a medula espinhal, é um conduto que se estende a outras dimensões (quarta, quinta, sexta, etc.); é um conduto mediante o qual a força conhecida como Kundalini pode viajar quando desperta-se. Na base da espinha dorsal está o que os orientais chamam a Serpente de Fogo. É o assento da vida.” “No homem comum essa grande força encontra-se inativa, adormecida, quase paralisada pelo desuso. Atualmente essa serpente de imenso poder encontra-se enrolada sobre si mesma e por diversas razões não pode escapar de seus confins, por enquanto. Esta representação mística de uma serpente é conhecida como Kundalini, que somente está desperta nos Mestres. A força da serpente avança pelo conduto espinhal, passa pelo cérebro e vai mais além, até o plano astral. À medida que avança sua potente força ativa, cada um dos chacras e centros de poder, tais como o coxígeo, o prostático, o umbilical, o cardíaco, o tireóideo, o frontal e a glândula pineal despertam e a pessoa torna-se poderosa, dominante, vital.”
 
Toda senda iniciática fundamenta-se na serpente. Esta tem seus alimentos cósmicos especiais. Existem cinco elementos básicos conhecidos, com os quais alimenta-se a serpente, a saber: a terra filosófica, a água elemental dos sábios, o fogo elemental, o ar elemental e o éter. Nestes elementos vivem os elementais da natureza. Os Gnomos habitam a terra filosófica, as Ondinas vivem na água, os Silfos e Silfides vivem no ar, as Salamandras no fogo e os Punctas no éter.
 
Os Gnomos trabalham nas entranhas da Grande Cordilheira (a medula espinhal). Todo o trabalho que realizam os Gnomos consiste em transmutar o chumbo da personalidade no ouro do Espírito. A matéria prima é o Ens Seminis. O fornilho do laboratório é o chacra coxígeo. A água é o licor seminal e os cordões simpáticos constituem a Grande Chaminé por onde ascende os vapores seminais até o destilador do cérebro. Todo o trabalho dos Gnomos é alquimista. A transmutação metálica é a base da Iniciação. A matéria prima deve transmutar-se em Ouro Filosófico.
 
Os Gnomos necessitam do fogo das Salamandras e da água das Ondinas. Também necessitam do ar vital e dos simpáticos Silfos da mente para que impulsionem os vapores seminais para dentro e para cima. O resultado é a transmutação do chumbo em ouro. Quando a aura do Iniciado tornar-se de ouro puro, a obra estará totalmente realizada.
 
A serpente de fogo alimenta-se com estes cinco elementos básicos. Esta é a razão pela qual o discípulo tem que passar, nas Dimensões Superiores, pelas quatro provas: da terra, da água, do fogo, e do ar.
 
Naquele velho Egito elemental, que cresceu e madurou sob as protetoras asas da Esfinge Elemental da Natureza (pois simboliza os cinco elementos), a cerimônia de iniciação era algo terrivelmente divina. Quando o Venerável Mestre esgrimia a espada no ato de admissão, os canais Ida e Pingala e o canal Sushuma, junto com as forças que por eles circulam, recebiam um tremendo estímulo. No primeiro grau este estímulo somente afetava a corrente de Idá; no segundo grau a de Pingala, e no terceiro recebia o estímulo, a Ignea corrente do Kundalini que flui ardentemente pelo canal medular de Sushuma. Com este terceiro grau quedava desperto o Kundalini. Aclaramos que estes estímulos estavam relacionados com o trabalho da Magia Sexual que o Iniciado realizava com sua esposa.
 
Também aclaramos que Ida e Pingala não são físicos. Nenhum médico poderia encontrá-los com o bisturi. Ida e Pingala são semi-etéricos, semi-físicos.
 
Os grandes Mistérios do velho Egito, assim como também os mistérios do México, Yucatan, Eleusis, Jerusalém, Mitra, Samotracia, etc., estão todos em íntima relação e são de fato absolutamente sexuais.
 
Toda religião tem origem sexual. Se fizermos um estudo comparativo das religiões, descobriremos que no fundo de todas as Escolas, Religiões e Seitas existe o simbolismo sexual. No princípio, nas religiões ensinava-se o Grande Arcano, porém com o correr do tempo foi-se perdendo.
 
O Matrimônio Perfeito e o Cristo Cósmico constituem as sínteses de todas as religiões, ordens, seitas, escolas, lojas, Yogas, etc. É lamentável que muitos dos que descobriram a síntese prática tenham caído no intrincado labirinto das teorias. Conta a tradição que no centro do Labirinto existia a Síntese, ou seja, o Lábaro do Templo. A palavra labirinto é oriunda etimologicamente da palavra lábaro. Este último era uma acha de duplo corte, símbolo da força sexual masculino-feminina.
 
Realmente, quem encontra a síntese, comete o maior erro quando sai do centro e regressa aos complicados corredores de todas as teorias que formam o labirinto da mente.
 
Justa razão tinha Freud, o pai da Psicoanálise, ao dizer que as religiões tinham origem sexual.
 
Magia sexual encontra-se na simbologia esotérica Cristã; Magia Sexual pratica-se no Zen Budismo; Magia Sexual pratica-se entre o Yoguis Iniciados e entre os Sufis Mahometanos. Magia Sexual praticou-se em todos os Colégios Iniciáticos antigos.
 
Os Veneráveis Mestres do Movimento Gnóstico investigaram todos os grandes tesouros Gnósticos. Esquadrinharam no fundo das religiões arcaicas e atuais e encontraram a chave suprema da Magia Sexual entre esposo e esposa, no fundo de todos os cultos.
 
Este é o ensinamento da Síntese.
 
 
 
 
 
Depois de situar-se em posição cômoda e realizar as respirações profundas, tal como foi ensinado nas exposições anteriores, vocalize suavemente durante vinte e cinco minutos aproximadamente o mantram ONRO, assim:
OOOOOOOOOOOOOONNNNNNNNNNNNNNRRRRRRRRRRRRRROOOOOOOOOOO,  com uma só respiração de cada vez. A letra R deve ser pronunciada numa nota muito mais alta que as demais, como uma criança imitando o barulho de um motor.
Depois deverá entrar em meditação, tal como foi ensinado na lição número 8.
Necessitamos aclarar que todas as práticas que foram dadas e as que serão dadas no futuro, são definitivas. Todas servem por igual. Nenhuma tem menos importância que outra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário