Follow by Email

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Projetos Secretos de Aviões Secretamente Esquecidos


“Além de ser Curioso, tenho outros problemas… gosto de história, aeronaves e de armas. Por isso, eventualmente vão encontrar artigos nesses padrões por aqui. Me Desculpem…”
Desde que o homem aprendeu a andar em duas pernas e fazer batatas fritas, um sonho continuou a martelar sua mente criativa. Esse sonho era voar. Sim, voar graciosamente como borboletas em uma tempestade de neve. Muitos tentaram reproduzir tal feito, mas poucos conseguiram algum sucesso. Os primeiros a conseguirem sair do chão planando (não voando) foram dois irmãos, nos Estados Unidos (também conhecidos como Super Gêmeos).

Irmãos Wright e seu incrível invento.
Logo em seguida, um brasileiro conseguiu um feito maior. Sair do chão sem auxílio de catapultas ou com a Irmã Gêmea se transformando em um condor. Este inventor era Santos Dumont.
Depois dessa revolução, o desenvolvimento aeronáutico cresceu e se tornou muito eficiente, sendo alavancado com as duas Guerras Mundiais. Nesse artigo, vou tratar de um projeto secreto que acabou sendo esquecido. Não porque não eram bom, mas por que foi esquecido mesmo.
Em 1941, Dmitru Badula Dracul, um romeno de criação simples e que era primo do sobrinho do irmão de um antigo companheiro de quarto da ex-diarista de um grande projetista de aviões da Segunda Guerra Mundial, Willy Messerschmitt, formulou um conceito muito criativo e que ainda hoje é perceptível nas linhas de todos os aviões atuais. Os aviões “Assento Sanitários”.

Aeroplano de Dmitru Badula Dracul à direita e a esquerda, o assento de privada inspirador.
Sua forma circular e aerodinâmica garantia um desempenho muito bom para sua época. Foi tão revolucionário, que chamou a atenção de vários projetistas alemães, que não esperaram nem um minuto para estudar e melhorar tal conceito. O melhoramento mais marcante foi a adição da tampa do acento sanitário. Repare que não temos mais o “buraco” central.

A tampa do assento. Modificação alemã ao projeto de Dmitru.
Com esse novo dispositivo que atua como um incrível e eficiente freio aerodinâmico, o Aeroplano de Dmitru conseguiu uma vantagem absurda em cima dos seus concorrentes, criando e aprimorando uma manobra conhecida como: GSZADAN “gehen Sie zurück auf die arabische Nahrung”, que ao pé da letra seria “voltar para trás na direção da comida árabe”, vulgarmente conhecida como “Ré no kibe”. Aqui podemos ver como essa manobra funciona em combate:

Manobra GSZADAN sendo utilizada contra um Spitfire Inglês.
Outro incremento alemão ao projeto foi a utilização de máscaras de oxigênio, otimizando o desempenho do piloto nas manobras mais difíceis e em voôs de altas altitudes. Podemos ver nesse diagrama como ela funcionava e suas equivalentes atuais:

Máscara concebida por Dmitru, à esquerda, máscara atual, à direita.
Alguns fatos curiosos sobre esse e outros projetos merecem ser lembrados, como o de que o Aeroplano de Dmitru foi roubado em 1942 por espiões americanos. Mas por alguns erros na tradução do projeto, o conceito foi mal interpretado, passando de “assento sanitário” para “bidê”. Desde então, todo o projeto foi baseado no conceito de bidês. Ao lado pode-se perceber vários traços do desenho de Dmitru com pequenas modificações. Tanto os modelos americanos como o romeno nunca chegaram a ser produzidos em massa.
Por final, uma outra história curiosa é do esquema de montagem do avião BV P-111 ter se perdido durante um bombardeio ao complexo de engenharia de Bremen (Alemanha) e o resultado da montagem sem o esquema foi esse:
E assim termino o post sobre essas incríveis máquinas de combate aéreo voantes.
Gostaria de me desculpar, pois eu tinha achado o projeto de um avião cachorro-quente, mas acabei perdendo (como os caras de Bremen). Se alguém o encontrar, por favor me enviem um e-mail.

Nenhum comentário:

Postar um comentário