Follow by Email

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Viagem no Tempo


A viagem no tempo sempre intrigou e fascinou o ser Humano e a Física é o instrumento necessário para conseguir tal feito. Muitos dizem ser impossível, outros dizem não ser e outros dizem que só temos passagem de ida para o futuro. Mas hoje vou explicar como viajar no tempo é possível e quais equipamentos serão necessários.
Neste post da série Viagem no Tempo(pretendo escrever mais), vou descrever o funcionamento do Capacitor de Fluxo. Para melhor compreensão do Modelo Teórico de Capacitância de Fluxo Temporal aqui discutido, vamos precisar definir o que essencialmente é tempo e apenas corrigir um pequeno na Teoria da Relatividade.
1. “Podemos encarar o tempo como um campo escalar, definido em todo o Universo. Este campo estaria em constante variação em um único sentido, sempre aumentando, com diferentes taxas de acordo em a região do espaço em que você se encontra e sua velocidade em relação ao referencial supremo.”
O Capacitor de Fluxo é que torna a viagem no tempo possível, este teria a capacidade de armazenar as taxas de variação desse campo temporal de modo a acelerar ou reverter tal taxa de acordo com a polaridade de uma diferença de potencial aplicada de 1.21 GigaWatts. Em nosso exemplo usaremos um Delorean equipado com um capacitor de fluxo alimentado por um reator nuclear movido a Plutônio.

“- Are you telling me this sucker is nuclear? – No! This sucker is electrical!”
Na imagem da esquerda, temos o Capacitor de Fluxo, seus três terminais em forma de “Y” se devem as duas polaridade (ou sentidos possíveis) para se acelerar ou reverter o fluxo de tempo, mantendo fixo o terminal central ligado a ddp.
Uma vez selecionado o destino de sua viagem, os circuitos do tempo irão calcular qual a densidade de fluxo necessário para fazer o salto de sua coordenada temporal para a coordenada desejada. Outra função extremamente importante dos circuitos do tempo seria de compensar os movimentos da Terra no espaço. Imagine voltar no tempo sem ajustar suas coordenadas espaciais? Você poderia terminar seu salto no espaço, onde a Terra estava quando você efetuou o salto, mas que agora (na nova coordenada temporal) se encontra em outro ponto de órbita.
Seguindo com o funcionamento, nesse exemplo para uma viagem ao futuro, ao chegar a 88mph o Capacitor de Fluxo é ativado e começa a concentrar fluxo de tempo de forma a acelerar o fluxo em torno do carro para avançar as coordenadas temporais (e modificar a coordenadas espaciais).
Quando a densidade de fluxo calculada previamente pelos circuitos do tempo é atingida, está é descarregada bruscamente. Essa descarga gera uma explosão no instante em que o carro faz o salto. A explosão é explicada da seguinte maneira: Como o carro não deixou de existir, mas pulou instantes no tempo a energia que ele iria dissipar ao longo desse tempo no Universo irá se irradiar bruscamente no instante em que o carro saltar para a próxima coordenada temporal, deixando esse energia no Universo, uma vez que ela teria que ficar mesmo. Assim quando o carro reaparece, está muito frio e recupera essa energia que ele  dissipou anteriormente no Universo de volta. Por isso o carro fica coberto de cristais de gelo, ele “pega” de volta aquela energia de modo e manter a conservação de energia no Universo como um todo. O mesmo acontece quanto é revertido o fluxo de tempo, mas na ordem contrária. Depois da explosão, são deixadas marcas no chão em chamas que se devem ao fato do Delorean ter pneus irados e rodas de magnésio tudo-de-bom. Basicamente este é o processo realizado pelo Capacitor de Fluxo para viajar no tempo. Agora, outro ponto importante que precisamos esclarecer aqui foi o erro associado ao Teoria da Relatividade, onde se diz que todos os referenciais são equivalentes e nenhum deles poderia ser considerado como especial. Bem, o erro é que:
2. Existe apenas um referencial especial, o Referencial Supremo, que é o referencial das 88 milhas por hora (ou 141,6 km/h, mas 88mph é mais bonito, convenhamos!). [1]
Na foto ao lado podemos ver Albert Einstein no momento em que pedia desculpas póstumas a si mesmo, por seu estúpido erro com relação a inexistência de referenciais especiais.
E assim fica explicada como a viagem no tempo é possível, devido a essa condição especial do referencial supremo combinada a capacitância de fluxo de temporal.
Agora, se você quiser deixar a teoria de lado e fazer a sua própria maquina do tempo num delorean visite BTTFParts.com. Confira o que você pode conseguir fazer com apenas alguns milhares de dólares e muito tempo perdido:
A parte mais difícil seria encontrar um delorean, mas aqui vai uma ideia minha para lhe economizar algum dinheiro: use um gol modelo antigo, aquele quadrado. O chato é que as portas não vão abrir para cima.
Não acreditou nesse papo de viagem no tempo e tal? Então você pode explicar como postei esse artigo um minuto antes de terminá-lo? Porque tenho um Capacitor de Fluxo e não tenho medo usá-lo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário